24/01/2009

Nothing to fear but fear itself?


Uma frase famosa do discurso inaugural de Presidente Franklin Delano Roosevelt no dia 4 de Março 1933, ou seja durante a Grande Depressão (foto) dos anos '30: "The only thing we have to fear is fear itself", (http://www.youtube.com/watch?v=vvonsjqE2a4).
Lembrei-me desta frase, citada várias vezes em relação à ceremónia de inauguração de Barack Obama. Será que a frase ainda serve como encorajamento em tempos de crise!?
As notícias de ontem provocaram uma Sexta-feira Negra, especialmente no Norte do País:
- Declaração de falência da Qimonda-Alemanha, empresa-mãe e único cliente da fábrica de chips e semi-condutores Qimonda em Vila do Conde (quase 2000 trabalhadores).
- Despedimento de 2000 trabalhadores na PSA-Peugeot/Citroën em Vigo, acontece que 20 fábricas de componentes em Portugal são fornecedores desta empresa automóvel. Comentário de um sindicalista: "Para cada posto de trabalho em Vigo existem três postos de trabalho em Portugal...", na fábrica PSA-Mangualde 460 ficaram para já sem trabalho, na fábrica de componentes Sodécia em Guarda há "lay-off" até Junho para os mais de 100 trabalhadores.
- Fechou a fábrica de calçado Eccolet em Sta. Maria da Feira (tinha 180 trabalhadores).
- Fechou a fábrica téxtil Intipor em Amares (140 no desemprego).
- 300 trabalhadores das empresas corticeiras em Sta. Maria da Feira em greve (salários em atraso).
- Philips vai fechar a última fábrica em Portugal (Ovar, 70 trabalhadores).
- ??

3 comentários:

Sofia Loureiro dos Santos disse...

O ANACRUZES foi nomeado para um desafio. Boa sorte.

Fernando Vasconcelos disse...

É tudo uma questão de confiança. As televisões anunciam o que é notícia e que neste momento são despedimentos e falências. certo a situação é má e vai continuar a piorar durante mais algum tempo, mas ao mesmo tempo há novas empresas, novas coisas a nascer, simplesmente não são notícia ... Deste ponto de vista concordo com Roosevelt. O único receio que devemos ter é deixar-nos levar no fluxo negativo de histórias sem nos apercebermos que existe sempre uma forma de dar a volta à questão.

Rini Luyks disse...

A pergunta no título é algo retórica.
Se é verdade que a falta de confiança tem um efeito paralisante, também não é menos verdade que é cada vez mais difícil de "dar a volta à questão".
O capitalismo é simplesmente um sistema baseado na exploração de forças humanas e matérias primas, exploração do homem pelo homem.
A pirâmide de Madoff e a guerra no Iraque têm para mim a mesma "base ideológica".
O comentário do meu irmão na Holanda, pesquisador na Philips, em relação ao fecho da última fábrica dessa empresa multinacional em Portugal (deslocada para a China): "Com certeza os Portugueses estão a ficar demasiado caros!"
O ordenado mínimo na Holanda é 1380 euros, em Portugal 450 euros...