22/06/2007

Richard Galliano - Tears

Emoção e virtuosismo no acordeão.

Florin Niculescu, Bireli Lagrene e Richard Galliano.

9 comentários:

carla disse...

legal!

Rini disse...

Há uns anos (ou)vi um concerto do dueto Richard Galliano / Michel Portal (sopros) no CCB, também muito impressionante!

xistosa disse...

Vou postar uma coisa que talvez não o devesse fazer.
Nasci no Porto, em pequenino, (6 anos), fui para Castelo Branco, terra da acordeonista Eugénia Lima, morando quase paredes meias com esse instrumento.
Queria aprender guitarra, mas a "moda" era acordeão e por obrigação.
Nunca mais o pude ouvir ...
Nasci assim, sou assim, serei assim e morrerei assim ...

Rui Rebelo disse...

Caro Rini,

Ao concerto não consegui ir.
Eu tenho um disco com eles os dois mas não o encontrei para dizer o nome que não me lembro.

Mas vi o Galliano em Paris há muitos anos num concerto perfeitamente informal e com muito improviso para uma plateia práticamente composta por músicos.

já tenho saudades de um post teu.

abraço

Rui Rebelo disse...

Caro xistosa,

Pois é, a música tem essa componente de audição emocional que nos faz gostar ou não, independentemente da estética.

Rini disse...

Caro Rui,

O álbum do que estas a falar deve ser o "Blow up", tem alguns arranjos de música de Piazzolla que tocaram naquele concerto.
Sei que estou a a faltar em relação à criação de novos posts, mas estou a ficar maluco com o trabalho: cheguei ontem do Porto, 6 hospitais em 2 dias, hoje e amanhã na Gulbenkian com a banda, depois outra vez 5 hospitais e dois concertos da banda e pelo meio António Pedro Vasconcellos chamou-me para uma participação especial no novo filme dele.
Já agora: dia 07-07-'07 lançamento do álbum da Kumpania Algazarra no Teatro Comuna!

João Silva disse...

muito bom mesmo! não conhecia...;) obrigado pla dica

Rini disse...

Bem, falei antes do tempo....ainda não há lançamento do álbum no dia 07-07-'07, vai ser um pouco mais tarde por causa de "razões logísticas".

cromo disse...

Os músicos são bons mas o tema não é nada de especial.