09/02/2009

Oboé - hobo!?

Três "hobos" em Chicago (1929)





Tempo de antena para um "aerofono rissonante" menos votado: eu gosto muito do oboé. A palavra vem do francês "hautbois", em muitos línguas germânicas é escrita e/ou pronunciada como "(h)obo".

Um aparte, mas uma questão que me intriga: será que há uma relação etimológica com a palavra "hobo", o fenómeno americano do início do século XX? Um "hobo" era (é) um sem abrigo por opção, sempre "on the road", viajava de preferência em comboios de mercadorias, vivia de biscates, muitas vezes trabalhos que ninguém quis fazer. A população de "hobos" aumentou muito na era da Grande Depressão (foto), o "Charlot" de Charles Chaplin (personagem criada já em 1912) foi um "hobo" por excelência.

Na Wikipédia inglesa encontramos muitos dados interessantes sobre a "hobo-culture": linguágem "hobo", código de símbolos, código ético(!), uma lista de "hobos" famosos, p.ex. Woody Guthrie, Jack Kerouac, Jack London, Robert Mitchum, George Orwell (ver link "Orwell Diaries" nas nossas "Harmonias"!), John Steinbeck, etc. http://en.wikipedia.org/wiki/Hobo .

Sobre a origem da palavra "hobo" há várias teorias. Um site "American Dialect Society"" fala da existência das palavras "oboe/hautbois/hautboy/hoboy/hobo".

Uma citação de um diário de 1848: "A year's bronzing and "ho-boying" about among the mountains of that charming country called Mexico, has given me a slight dash of the Spanish." Também no século XIX a palavra "hoboy" era outro nome para a profissão de "nightman": alguém que limpava as latrinas públicas durante a noite; será que houve "hoboys" oboistas!?

4 comentários:

Anónimo disse...

Entre o oboé, a flauta e o saxofone possivelmente seria difícil escolher um mas, a escolher, seria o oboé, e não tanto pela peça do post mas por outras, como esta aqui:

http://www.youtube.com/watch?v=B2MycU_N634&feature=related

Dervich

Rini Luyks disse...

Gosto desse filme "The Mission", Dervich, como também dum outro filme "histórico" (séc. 17) de Roland Joffé: Vatel.
Também com música de Morricone.
Agora, em "The Mission", a acção desenrola-se no século 18, por isso o oboé devia ser barroco (como no youtube de Vivaldi neste post).

Fantasia Musical disse...

Não tenho dúvidas sobre o meu instrumento de eleição: o oboé é o instrumento que mais me faz "pele de galinha" (eh, eh, eh).

Claro que todos os instrumentos bem tocados conseguem ser especiais. Mas o oboé contemporâneo chega a ser impressionante pela sua beleza! Tendo uma flautista e dois oboistas cá em casa, confesso que também são estes os instrumentos mais ouvidos. E, claro, quanto melhor se conhece, mais se gosta...

Oh! Bué! disse...

VIVA O OBOÉ!