11/02/2009

Karl Richter toca J.S. Bach - Passacaglia & Fuga em Dó menor, BWV 582

O maestro Karl Richter no Dreifaltigkeitsorgel (Órgão da Trindade) da Basílica de Ottobeuren, isto deve trazer votos a este instrumento majestuoso! Aqui a primeira parte com a Passacaglia, a segunda parte com a Fuga em http://www.youtube.com/watch?v=TOnNMXPggVs .

A inscrição no órgão diz: "Laudate Deum in chordis et organo" (vídeo às 6 min. 20 seg.), podia ser o lema destas eleições!

Já dediquei um post ao grande intérprete Karl Richter (16 de Novembro 2007) a tocar a "Toccata & Fuga em Ré menor, BWV 565" no mesmo instrumento: http://www.youtube.com/watch?v=qMycbc7Lusw .

3 comentários:

rui r disse...

Sem dúvida o mais majestoso dos instrumentos musicais. mas citando a wikipedia:

"O antepassado do órgão é o hydraulos, ou órgão hidráulico, inventado no século III a.C. pelo engenheiro grego Ctesíbio de Alexandria, responsável pelo cruzamento da flauta típica grega, o aulos, com o sistema hidráulico de injecção de ar compressorizado nos tubos.
Este instrumento esteve muito em voga no Império Romano. Tendo um som forte, era apto a usar-se ao ar-livre: em jogos, no circo, nos anfiteatros. Nesta altura o hydraulos era já denominado como organum hydraulicum em latim ou organon hydraulikon em grego.
O sistema hidráulico usou-se até ao século V, tendo surgido no século IV o sistema pneumático de foles. Trata-se do órgão pneumático. Como já não havia a componente hidráulica, o instrumento passou simplesmente a ser denominado Organus."

Ou seja: Até o ÓRGANON (o instrumento por excelência) é originário do AULOS (flauta).

Caros leitores, não vão em megalomanices musicais. VOTEM FLAUTA

Rini Luyks disse...

Francamente, Rui, queres mesmo ganhar com maioria absoluta!?

Rini Luyks disse...

O.K., um argumento mais consistente:
na Passacaglia oiça a frase do baixo sempre repetida, tocada com os pés. Já é uma melodia lindíssima em si, junto com os fraseados das mãos nos vários teclados, a música torna-se celestial, graças á combinação dos génios do compositor, do intérprete e de Karl Heinz Riepp (1710-1775) que demorou nove anos a construir esta sua obra máxima, um órgão com 66(!) registos. Ele deve ter conhecido o próprio J.S.Bach (1685-1750).

Nada em detrimento da performance da flauta, mas são simplesmente instrumentos de "campeonatos" diferentes! Tenho dito.