10/09/2007

Festa do Avante

Olhei para esta gravura que me acompanha há tantos anos.
Tenho-a pendurada a dois metros deste ecrã.

Lembrei-me da Festa do Avante.

A última vez que fui lá foi para mostrar aos meus filhos.
Quis partilhar com eles as memórias que tenho de quando lá ia com a idade deles.

Mas já nada é igual!
.
Agora é um bom festival de música e uma feira de artesanato, tudo com um ambiente bastante agradável.
Apesar de já não ser o mesmo, é um evento único que revela a simpatia de um público sensível a ideais.
.
PARABÉNS.

6 comentários:

Rini disse...

É verdade, Rui, os tempos mudaram.
Mas apesar de não ser militante do "Partido", sou um "incondicional" da Festa, já estive presente na maioria das 31 edições.
Neste fim de semana um banho de multidão inesquecível com a Kumpania Algazarra, versão banda móvel, num ambiente tão contagiante parece tudo fácil.
E ontem o naipe de sopros subiu ao palco 25 de Abril para uma participação especial no concerto de encerramento dos Blasted Mechanism.

rui disse...

E eu nunca mais vos consigo ir ver...

estou a ensaiar sem folgas e as minhas costas não andam nada bem.

bom, e como o Fernando foi para o Mindelact proponho que nás façamos um videozinho anacrusico os dois.

que dizes?

Susana Serrano disse...

Façam, façam, estamos todos à espera!
Entretanto Rui, deixo-te aqui o link para um tsunami sensacional e que talvez melhore as tuas costas:
http://www.youtube.com/watch?v=ekWmb_Pytjs

rui disse...

obrigado Susana,
A bachiana nº 5 é das minhas obras musicais preferidas. Já conhecia portanto este vídeo. É dos poucos disponíveis no youtube. nós também já postámos há tempos no anacruses a versão instrumental dos Uakti: http://uk.youtube.com/watch?v=p9OF8PETepA

infelizmente são todos vídeos amadores com uma qualidade de audio fraquinha.

mas foi bom reouvi-los.

xistosa disse...

Fui "cliente" das festas do Avante, durante 16 anos a fio.
Ia de propósito do Porto e deixava sempre uns dias de férias para essa altura.
Um ano, um "amigo" duma agência de viagens, arranjou-me uma pechincha no Estoril, não me recordo do Hotel
Quase que colocava 5 pessoas, 3 adultos e 2 crianças na mesma cama.
Se não fosse a gentileza da gerência, era mesmo o que sucedia, pois estava tudo esgotado.
Acabei por deixar de ir, porque raramente se conseguia vaga em hoteis.
Tinha a família toda em Lisboa, mas nunca gostei de acampar em casa de ninguém.
Deixei de ir.
Certamente já nem conheço Lisboa, onde vivi alguns anos, quando era miúdo.
Passaram-se mais de 50 anos.

Tenho no "ucometa":
Anna Moffo - Bachianas Brasileiras nº5.

sulmoura disse...

também fui lá, enquanto morei em lisboa (até 90).
mas vim a este blogue sobretudo para agradecer a sua visita ao sulmoura!e porquê postar aqui o comentário, se o Poema de J Blanc de Portugal é tão belooooo? porque também esta grvura está o ladinho... e não resisti... :-) Bem Haja!Volte!também voltarei :-)