30/07/2007

Canícula I - A Máquina Infernal


O último concerto da primeira digressão deste Verão da Kumpania Algazarra (a segunda é já na próxima semana: CCB - Lisboa e Ilha Terceira - Açores) levou-nos à aldeia de Janeiro de Cima (Semana Cultural das Terras do Xisto).
Transportes da ida: uma carrinha da Câmara Municipal de Fundão e a "Máquina Infernal" de um colega músico, um imponente sedan Lancia Dedra recém adquirido.
Adversidade: um dia de autêntica canícula, 40 graus ou mais no asfalto.
Resultado: perto de Castelo Branco, uma coluna de fumo negro que (na foto) ficou estrategicamente fora da imagem (como também ficou a cara do nosso colega condutor, isso para não hipotecar futuras oportunidades de boleia, não tenho carta de condução...) e muito tempo à espera de um reboque e um táxi sem termos uma gota de água para beber...

4 comentários:

ap disse...

Com que então, na minha zona, num dia tão quente e sem água para beber? Devem ser uns aventureiros! Ahh! Espera... São músicos! :-)

rui disse...

Aconteceu-me o mesmo no regresso de Mérida. Também sem água para beber. Mas como estava com o meu filho umas senhoras pararam para perguntar se precisava de ajuda e deixaram-nos uma garrafa de água.
Vantagens de viajar com crianças...

Rini disse...

Três dias são suficientes para ultrapassar esta pequena experiência traumática, posso confessar agora que a água que tinhamos (não somos assim tão aventureiros) foi para dentro do radiador, em vão....

Rui Rebelo disse...

Pois é Rini,

Com este calor deve-se verificar sempre a água e o óleo. Coisa que não fiz e vocês também não.

O estrago é grande...

ainda estou à espera do orçamento mas já me avisaram que a brincadeira deve sair cara.

abraço