15/03/2008

Canta Corsica - Jean Paul Poletti



Depois do primeiro post de ontem do Fernando fui à procura do CD "Canta Corsica" (capa na imagem) que encontrei numa loja Valentim de Carvalho em 1996. Grupos conhecidos como "I Muvrini" e "Canta u Populu Corsu", mas também uma música de Jean Paul Poletti (que eu não conhecia na altura): "Un Passu Ver Di U Celu", uma voz cativante.
Na época de Natal 1996 eu estava a preparar um pequeno espectáculo de marionetas com música ao vivo, baseado numa obra de Federico Garcia Lorca: "A donzela, o marinheiro e o estudante". Foi no Café Teatro da Comuna com Anabela Brigida (actriz-bonecreira), Sandra Faleiro (direcção) e Sara Graça (figurinos).
A música de Poletti foi uma perfeita introdução para criar o ambiente do espectáculo.
Mais tarde Poletti começou a dedicar-se à música coral com o Choeur des Hommes de Sartène.
Exemplo: https://www.youtube.com/watch?v=Ol4_D7F4IsQ

5 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

Pensei, não tem um nome português, por isso o artigo tirou meu interesse. Não ficava admirado encontrar um holandês, pois os holandeses tenham a prenda para se sentir bem em toda em parte no mundo. A última vez que visitei um teatro de bonecos foi em Antuérpia a minha cidade natal.
Cumprimentos e desejo-vos muito sucesso na vida profissional em Portugal.

Fernando Mota disse...

?!?

Rini disse...

Caro anónimo belga (!?, pelo menos de nascimento),

Bem-vindo ao nosso blogue e obrigado pelo comentário. Penso que você quis dizer "o artigo atraiu o meu interesse" em vez de "tirou", não!? Eu também ainda estou a aprender esta belíssima língua portuguesa...
De Antúerpia tenho muitas saudades, veja por exemplo o meu post ilustrado neste blogue de 14 de Dezembro 2007, comecei lá a minha "carreira" como música de rua. Quem sabe que já nos encontrámos lá uma vez nos anos '80!?
Já agora, queira por favor deixar o seu nome, de anónimos este mundo já está cheio...

Rini Luyks disse...

... como "MÚSICO de rua" (mesmo assim com uma bela quantia de hormonas femininas, julgo). A correcção é necessária para esclarecer o (a?) visitante belga, pois o nome "Rini" em holandês (e flamengo) pode ser aplicado tanto aos bebés machos como às fémeas. Será que "nomen est omen" ("O nome é um presságio")?