26/04/2007

Longas Férias com Oliveira Salazar

Longas férias com Oliveira Salazar
Teatro da Politécnica
24 de Abr a 13 de Mai 2007

3ª a SÁB. 21H30 SÁB. e DOM. 16H00
Para reservar bilhete - 21 395 52 09 (Teatro da Politécnica) a partir das 20h30

encenação cenografia JOSÉ CARRETAS música original FERNANDO MOTA figurinos MAITE ÁLVAREZ desenho de luz FERNANDO SENA assistente de encenação VERA MIRANDA desenho técnico maquete de cenografia RUI PINTO EVELINA MARQUES

COM
FRANCISCO BRÁS ANA MARGARIDA CARVALHO ELISA NEVES FERREIRA EVA FERNANDES CÂNDIDO FERREIRA PEDRO FIUZA CÁNDIDO GÓMEZ FILOMENA GIGANTE CARLOS MARQUES JOÃO MIGUEL MELO MIGUEL TELMO RINI LUYKS (MÚSICO)

Nos últimos dias da vida de António de Oliveira Salazar, vamos encontrar o velho ditador a lutar furiosamente contra a decadência física e intelectual, obrigado a confrontar-se com os fantasmas do passado. Maria, a governanta que dele cuidou a vida inteira, exige-lhe agora aquilo a que se sente com direito: o casamento. Nesse pedido é fortemente apoiada pelo próprio cardeal Cerejeira, que quer que o Presidente do Conselho – e seu amigo de longa data – morra em paz com Deus…Entretanto, outras duas visitas se insinuam: o primeiro amor de Salazar, a professora Felismina, que lhe aparece nua em sonhos, e o fantasma de Humberto Delgado, que lhe anunciará que o seu fim está próximo.Temendo conspirações de bastidores, Salazar desconfia que muitos, nomeadamente Marcello Caetano, esperam a sua morte para poderem, finalmente, chegar ao poder. No entanto, mantém, até ao fim, a doce ilusão de que ainda governa o país.

3 comentários:

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Interessante. Muito interessante

Antonio Delgado disse...

Estimados amigos e em Espeicial ao Rui, Obrigado pelo Comentario deixado em Ecos. Tenho uma forte ligação ao teatro dado que varios amigos são actores encenadores e escritores, pelo que este espaço me interessa e que assarei a frequentar com mais detalhe. Aproveito também para dizer que o vosso espaço tem um link no meu blog .
Cordialmente
António Delgado

Anónimo disse...

imparato molto