06/11/2008

Beethoven, por Glenn Gould e Leonard Rose



continua aqui

7 comentários:

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Excelente!

Anónimo disse...

como é possível dois americanos tocarem tão bem Beethoven. Apesar de que o Leonard Rose ao pé do Glen Gould, é um pé quadrado...

jp

Rini disse...

Não vejo razão para um americano não tocar bem Beethoven, mas Gould foi canadense e Rose (com pais ucranianos) ganhou o Grammy Award Música de Câmara 1971 para as suas interpretações de Beethoven.
Um dos seus alunos é Yo-Yo Ma (Wikipédia).

rui disse...

É verdade Rini. Mas eu tenho um preconceito em relação aos norte amerticanos (inclui canadá). estou a tentar cobatê-lo.

Rini Luyks disse...

Rui?
Eu estava a tentar perceber quem é o tal "jp"!
Eu também tinha durante bastante tempo preconceitos contra os norte-amer(da)nicanos, especialmente contra aqueles que há uns 25 anos tentaram estacionar mísseis nucleares a cinco quilómetros da minha casa na Holanda. Felizmente isso não aconteceu (louvado seja Gorby!).
Pequenas "résteas" ficaram, por exemplo em provas desportivas apanho-me de vez em quando a regozijar quando os americanos não ganham (lembro-me de uma final de basquete olímpico onde a Rússia bateu o "Dream Team" por um ponto no último segundo, eu a rejubilar aos saltos!). Não é bonito, mas somos humanos...

Rui Rebelo disse...

Faltou-me um "também" na frase, Rini.

O JP é um amigo e seguidor do blog, que sofre de alergia crónica a norteamericanices, o que me tem feito combater a minha...

Eu concordo que os EUA fazem da arte um produto meramente comercial e formataram estéticas com a indústria do espectáculo mas têm excelente música parida pelas fusões culturais.

Susana Serrano disse...

Rui, não podes generalizar! Nem tudo o que é americano é comercial. Há de tudo.

P.S. Eu também tenho,às vezes de combater essa tendência, mas não digas nada a ninguém!