26/08/2008

Dom Quixote sem Rocinante


Este post não deve ser entendido como uma auto-promoção de carácter duvidoso (no entanto, clicar na imagem para ampliar), mas antes como o prolongamento de uma cada vez mais intensa correspondência com o autor do blogue "Atleta Improvável", a mais recente entrada nas nossas "Harmonias".
À pergunta por que é que ele tinha (tão improvavelmente) recomeçado a praticar o atletismo aos trinta e tal anos (combate ao excesso de peso, ao tabagismo?), ele respondeu citando Dom Quixote de La Mancha:
"La libertad, Sancho, es uno de los más preciosos dones que a los hombres dieron los cielos; con ella no pueden igualarse los tesoros que encierra la terra ni la mar encubre; por la libertad, así como por la honra, se puede e debe aventurar la vida, y, por el contrario, el cautiverio es el mayor mal que puede venir a los hombres."
Precioso a la verdad! Fez-me lembrar uma descrição da minha personagem na saudosa "Bigodes Band" (2001-2005, música de Nino Rota para bandas sonoras de filmes de Federico Fellini). Também "L'olandese trepidante" aqui ao lado identificava-se plenamente com o lendário e intrépido Cavaleiro.

15 comentários:

Anónimo disse...

Olá Rini Marinus,
que bom diário, mestre, faz-me lembrar, não sei porquê,
o " Caro diario" do Nanni Moretti que fomos ver um dia num cinema da mítica calle Lavalle de Buenos Aires com a minha mãe, o meu irmão Igor e, se me lembro bem, a minha irmã mais nova (sou por tanto o do meio), a Larisa...
a saída essa foi devida a uma reconciliação familiar e escolhimos esse filme practicamente à cega-----

gostamos muito, mas quem mais gostou foi a minha mãe, e isso que na altura mal percebia o castelhano (era sub-titulada a película)

pronto, lembrar-se é sinal de ter a memória em funcionamento :)

mas a razão de esta escrita é o disse sobre a Liberdade o célebre mestre Dom Queixote de La Mancha_

alguem disse (e eu concordo) que a Liberdade não é algo que possa ser dado, senão que é algo que não pode ser tirado
Abraço

A.Eggert

Cláudio disse...

A tua descrição, Rini, nessa banda dos bigodes, não te faz jus, meu caro... até porque o Dom Quixote nunca precisou de rocinante para ser Quixote.

Rini disse...

Caro Cláudio,

Só posso acrescentar que já alguns anos antes de entrar na Bigodes Band mudei para o Bairro Alto dos Moinhos (perto do Estádio da Luz).
"Uma vez qu'as ruinas dos moinhos já não tinham velas, não precisei dum Rocinante para m´atirar a elas"...(duas vezes 17 sílabas a rimar! E esta, hein!?)
Faz sentido, não!?

Anónimo disse...

Boa, Dom Marinus!
Viva a poesia (também)em Português, para mim esta língua, comparada com o Castelhano, tem a "vantagem" das contrações...
Embora, já agora em sentido geral, a "rimarística" (neologísmo??) clássica por vezes me provoca o tédio de certa previsibilidade...mas não me queixo, por exemplo: velas - nelas...não aborrece, senão..convida
Abraço

Rini disse...

Bem, Alberto, nunca queria qualificar como "poesia" esta minha frase, acho que em português chama-se "poemeto" às rimas "baratas"...

Anónimo disse...

Rini, que lindo isto do poemeto...
rimas baratas - deve ser porque custam pouco..
E as que custam um balúrdio ---linguagem imprópria?!----, repara que ninguém as chama "caras"...
Isto dos valores tramadum est.
o Goolge, como se soubesse desta conversa, atirou-me com isto:
http://poemeto.blogspot.com/
existe uma variante de poemetos: os LIMERICOS...
abraço - aço :)

Cláudio disse...

Gosto da expressão versejador... ou versalhada. Ou ainda, vate de província e "ó meu rico santo antónio..."!

Maria Velho disse...

aaah!(suspiro)fosse eu Dulcineia... :)
Um abraço Rini!

Rini disse...

...apanhava eu, de regresso de mais uma luta inglória, de bom grado o lencinho de renda, caído no chão...( suspiro, seguido de tosse seca...:) )

Anónimo disse...

Caro Cláudio, cómo é que andas, mestre.. Sabes, é uma alegria ouvir a tua voz por estes territórios, uma vez mais desfazendo algum possível preconceituoso estereótipo sobre a tua personalidade (não só de correr vive o homem!! mas também de versejar...e se não ajuda, pois a correr!!!)

AE

Rini disse...

Fala o versejador anarquista:
"Se não faz mal, bem também não faz" (gna, gna:))

Maria Velho disse...

hum...essa tosse seca!! já foi ao médico ?:)(sorriso sincero de quem aprecia gente com humor)

Outro abraço(ah!estas mulheres do nuorte!)

Rini disse...

Vuestra Merced Maria Dulcineia,

Visita ao médico/cirujano? Sim, há três anos, à uma médica simpatiquíssima Maria Santiago (olé), ela mandou-me fazer o check-up dos cinquentenários , mas até agora este Quixote não foi (teimoso, filho do camponês...)

O que me faz lembrar um poemeto/canção em castelhano (mais ou menos assim, está certo, Alberto?):

"Amor mío, vienes tarde
e luego te vas temprano.
De que me sirven a mi
visitas de cirujano?"

Em relação à "mulher do nuorte", a luso-holandesa: estou surpreendido com a escassez de comentários.
Anda tudo a dormir ou quê? Tanta beleza...
Acho que vou escrever um comentário eu...

Anónimo disse...

Boa noite,

Mais que um poemeto, isto é bem uma PAYADA, e é uma honra encontrar uma...

http://es.wikipedia.org/wiki/D%C3%ADa_del_Payador

La bela quixotesca disse...

Força! vamos arranjar nick-names com alguma credibilidade e encher a caixa de comentários( mas primeiro tenho de ir arranjar um cogumelo "daqueles", pois durante as férias fico meio estupidificada).

Quanto à médica, ainda por cima minha homónima, vá lá Rini! Não dói nada, acredite que eu tive de fazer a revisão dos 40 há pouco tempo...e voilá! estou tão boa e tola como sempre).

E que bien que escribes, Rini!( nota: isto não é castelhano, qualquer semelhança com a real língua é pura ignorância).