13/07/2008

Agora eu era

Comecei esta semana a encenar o próximo espectáculo para a infância da Companhia do Chapitô.
Este tempo verbal onde vale tudo foi utilizado por todos nós para sermos o que quiséssemos. E não o poderemos utilizar em adultos para o mesmo fim?

Agradecem-se contributos dos vossos "agora eu era..."

4 comentários:

Maria Velho disse...

...agora eu era aquilo que nunca fui! isso é que era bom! um verdadeiro conto de fadas :)
Um abraço tipo xi coração(apertadinho) como dava , efusivamente, naquele tempo em que um toque nas barbas do meu pai me enchia de confiança ...

Rini disse...

Engenhoso, Rui, usar o blogue como espaço de possíveis contributos para um novo espectáculo a criar a partir do nada.
O João (Madeira) entra? Ele já me falou da ideia quando estive com ele no 12º aniversário no Teatro da Trindade.
Já agora uma curiosidade aparte: voltei na semana passada como acordeonista ao "Café Paris" em Sintra, o meu primeiro emprego como músico em Portugal em 1987 (fiquei lá quase três anos seguidos)! Reencontrei lá o fiel empregado Armando que na altura (anos '87-'89) era solteiro, agora tem um neto com um mês de vida! De resto está lá tudo na mesma...

Andreia disse...

Agora eu era... uma planta que fotossintetiza e tudo o que precisa é do sol e posso ser mais livre e não ter de cumprir uma rotina das 9h às ... mas tenho pernas e braços para poder fazer outras coisas que gosto e não estar sempre parada no mm sítio. Ah e tb não sou verde!

Fernando Mota disse...

Agora eu era o herói...