30/10/2008

Morreu Carlos Porto - O Teatro está de luto

Só soube agora que morreu o Carlos Porto. A admiração que tinha (e tenho) por ele expressei-a várias vezes pessoalmente. Recordo-me dele desde que eu era criança e sinto que o Teatro perdeu o seu mais empenhado crítico e um dos grandes estudiosos da arte do palco. Nunca se limitou ao teatro lisboeta e enobreceu muito o teatro em Portugal. Lembro-me de estar com ele nos Festivais de Almada, sempre acompanhado por amigos e pela  simpatiquíssima Teresa Porto,  sua companheira de vida, a quem deixo um abraço sentido.

O Teatro está de Luto. Foram cerca de 50 anos dedicados a enaltecer o Teatro em Portugal. Carlos Porto deixa obra e saudades.

Festival Internacional de Artes Cénicas da Bahia - Balanço muito positivo


O primeiro FIAC da Bahia apresentou uma excelente programação e revelou uma belíssima organização da parte de toda a equipa envolvida no evento.  Ainda com um orçamento muito baixo esteve à altura dos grandes festivais internacionais a nível da organização, simpatia e bom ambiente.

A Bahia já merecia um festival desta categoria. 

Parabéns FIAC BA.

Mata-ratos - "A minha sogra é um boi" (1990)

Outro vídeo histórico do saudoso programa "Pop Off" da RTP 2 (no entanto, o actual "Quilómetro Zero" de JP Simões tambem não está nada mal, mal só o horário de emissão como sempre...).

Lembrei-me deste por causa de um pequeno post de bom humor no blogue "Tempo Contado" (8 de Outubro) sobre a controvérsia dos casamentos homossexuais, terminando com a frase: "O melhor, pois, é vocês por aí irem-se habituando, ensaiando para quando a ocasião chegar: o João é a viúva do Miguel, o Gonçalo é a esposa do Amadeu, o Ricardo é a sogra do Frederico."

28/10/2008

Lucretia Divina - "Maria" (1991)

YouTube-user "Portugalmetal", operando a partir da Alemanha, divulgou há poucos dias o vídeo "Maria" do grupo Lucretia Divina, já mencionado em alguns posts anteriores. Mais uma emoção, assim vamos reconstruindo o nosso passado...(obrigado ao vocalista Alagoa, boquiaberto aqui acima, pela notícia).

O vídeo foi produzido para o programa "Pop-Off" da RTP 2 por Bruno Niel Costa e José Pinheiro nos estúdios da Latina Europa. Lembro-me que as filmagens ocorreram na noite em que eclodiu a primeira Guerra do Golfo, começámos numa casa abandonada na Alfama, depois entrámos no quarto de dormir do Gimba (Afonsinhos do Condado, Irmãos Catita) onde gravámos o som com o meu teclado acabando deitado na cama, condições incríveis! Assim também não será surpresa que a entrevista com a banda para o programa teve lugar na casa de banho do mesmo Gimba.

O video seja também uma homenagem ao percussionista e manipulador de sons José Valor que nos deixou muito precocemente em finais de 2004.

27/10/2008

Salvador da Bahia - Toda a cidade é d'Oxum


"Nessa cidade todo mundo é d'oxum
Homem, menino, menina, mulher
Toda essa gente irradia magia
Presente na água doce
Presente n'água salgada
E toda cidade brilha

Seja tenente ou filho de pescador
Ou importante desembargador
Se der presente é tudo uma coisa só
A força que mora n'água
Não faz distinção de cor
E toda a cidade é d'oxum
É d'oxum, é d'oxum, é d'oxum,

Eu vou navegar, eu vou navegar
Nas ondas do mar, eu vou navegar
É d'oxum, é d'oxum"


O espectáculo de ontem correu muito bem. A sala estava lotada e o público foi fantástico. Converti Deus ao Candomblé e o Zé e o Jorge  introduziram Caruru e Vatapá na Última Ceia de Cristo.
Hoje, se me arranjarem uma guitarra, vou tocar a música mais simbólica da cidade: É d'Oxum, do Gerônimo. Ainda não sei é em que parte...

As locutoras do Metro




Depois da recente polémica sobre um aspecto visual do Metro (a destruição de painéis de azulejos da artista Maria Keil até valeu uma intervenção, demagógica como era de esperar, do Presidente da C.M. de Lisboa num programa de televisão: http://faceocultaterra.blogspot.com/, post 5 de Outubro), queria chamar a atenção para um "fenómeno" sonoro que oiço diariamente nas minhas viagens no Metro de Lisboa.
Não estou a falar das músicas e das mensagens publicitárias (que ninguém pediu) a sairem aos berros pelos altifalantes, acompanhadas por imagens em plasmas gigantes (que também ninguém pediu).
Estou a falar da locutora do Metro de Lisboa que desde o Verão passado começou a avisar os turistas sobre o perigo dos carteiristas.
"Protect your things" foi a primeira versão pouco feliz, tanto pela escolha da palavra "things" como pela pronúncia: o consoante inglês "th" foi um obstáculo intransponível para a locutora: "Protect your tings"...
A nova versão "Protect your belongings" é melhor, mas revela outro obstáculo linguístico: a pronúncia do consoante inglês "-ng". Já reparei neste problema nas minhas aulas part-time de holandês para portugueses. Muitos alunos teimam em pronunciar o "-ng" das línguas germânicas (como em "England") como o "-ng" em "Inglaterra". Assim também a locutora do Metro: ela pronuncia "belongings" como "blónguingues", com a agravante de falta de convicção na voz: se ela sabe que não está bem, por que não pergunta a alguém?
Mas não é tudo: "Protect your belongings. Pay especial attention when entering or exit the train" é a mensagem completa.
1. O verbo "to exit" existe, mas é geralmente usado para indicar uma saída teatral ou até como sinónimo de "morrer". Existe uma associação de eutanásia "Exit International", fundada pelo australiano Philip Nitschke!
2. A forma correcta do verbo devia ser "... exiting the train", mas mais simples: "leaving the train", claro.
3. Mais um problema de pronúncia: a locutora diz "ezzit" em vez de "eksit", com certeza supondo uma analogia com a pronúncia da letra x em "êxito"...
Claramente não foi um êxito, a escolha desta locutora!
Imbatível, no entanto, a locutora do metro do Porto. Logo na minha primeira viagem não consegui evitar uma gargalhada depois de ouvir a frase: "A próxima paragem tem ligação com comboio e autocarro - next stop has connection with train and bus".
É que a parte em inglês foi pronunciada assim e com grande convicção: "Next stop ass connection witterain and buzz" ou seja: "Próxima paragem - ligação anal com chuva e ruído"!

23/10/2008

"O Grande Criador" na Bahia



Vou até à Bahia fazer 4 espectáculos do "Grande Criador" mais os meus amigos e colegas da Companhia do Chapitô. Vai ser o primeiro Festival Internacional de Artes Cénicas da Bahia, para o qual fomos convidados o ano passado quando participámos no riocenacontemporanea. Os primeiros espectáculos vão ser no Teatro Castro Alves em Salvador e depois na Cidade do Saber em Camaçari e no Teatro do CDL em Feira de Santana.




Cada vez  gosto mais do Brasil. 

"Bahia, terra da felicidade 
Morena, eu ando louco de saudade 
Meu Senhor do Bonfim 
Arranje outra morena igualzinha pra mim"


(Ary Barroso)

Até já...

22/10/2008

Na sequência dos dois posts anteriores... será que a velocidade ajuda?

Pois há certas coisas que prefiro mais lentas
Mesmo que tocadas pelos melhores









21/10/2008

Bach...em qualquer instrumento e em qualquer lugar...




A pauta no post anterior fez-me lembrar.
No Inverno de 1991 toquei uma fuga de Bach em keyboard no "Johnny Guitar" em Lisboa, como abertura do concerto da banda Lucretia Divina. Deve ter sido a única vez que se tenha ouvido tocar Bach naquele mítico palco da Música Moderna Portuguesa.
Depois do espectáculo João Peste convidou a banda para participar num concerto com os Pop dell'Arte e Mão Morta no Pavilhão Carlos Lopes, concerto que se realizou no dia 26 de Abril 1991.
O ano capícuo 1991 (ver post 20 de Setembro) foi memorável na curta história dos Lucrétia Divina.
(P.S. Uma interpretação da peça do post anterior pelo mestre Segovia em http://fliscorno.blogspot.com/2007/12/segovia-plays-bach-preludio-suite-i-bwv.html )

Fica bem em qualquer instrumento


Suite numer one for Cello by J.S. Bach

18/10/2008

Procura-se um amigo

Procura-se um amigo

Não precisa ser homem, basta ser humano, basta ter sentimentos, basta ter coração. Precisa saber falar e calar, sobretudo saber ouvir. Tem que gostar de poesia, de madrugada, de pássaro, de sol, da lua, do canto, dos ventos e das canções da brisa. Deve ter amor, um grande amor por alguém, ou então sentir falta de não ter esse amor.. Deve amar o próximo e respeitar a dor que os passantes levam consigo. Deve guardar segredo sem se sacrificar.

Não é preciso que seja de primeira mão, nem é imprescindível que seja de segunda mão. Pode já ter sido enganado, pois todos os amigos são enganados. Não é preciso que seja puro, nem que seja todo impuro, mas não deve ser vulgar. Deve ter um ideal e medo de perdê-lo e, no caso de assim não ser, deve sentir o grande vácuo que isso deixa. Tem que ter ressonâncias humanas, seu principal objetivo deve ser o de amigo. Deve sentir pena das pessoa tristes e compreender o imenso vazio dos solitários. Deve gostar de crianças e lastimar as que não puderam nascer.

Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova, quando chamado de amigo. Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de grandes chuvas e das recordações de infância. Precisa-se de um amigo para não se enlouquecer, para contar o que se viu de belo e triste durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade. Deve gostar de ruas desertas, de poças de água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim.

Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo. Precisa-se de um amigo para se parar de chorar. Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas. Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se vive.

(Vinicius de Moraes)

13/10/2008

"Agora Eu Era" pela Companhia do Chapitô

"Agora Eu Era" é a mais recente criação da Companhia do Chapitô, destinada a um público mais jovem. Estará em cena no Chapitô até 7 de Dezembro, Sábados e Domingos às 16h.

Elenco: João Madeira, Leonor Cabral, Patrícia Adão Marques.
Encenação: Rui Rebelo
Direcção de actores: José Carlos Garcia
Assistência de Encenação: Joana Paes e Patrícia Maio
Figurinos: Mafalda Estácio
Desenho de Luz: Carlos Gonçalves







Fotos de Filipe Saraiva.

02/10/2008

Fotos de Ensaio

Aqui ficam algumas fotos do primeiro ensaio com público do espectáculo "Agora Eu Era".




Elenco: João Madeira, Leonor Cabral e Patrícia Adão Marques.
Fotos: Filipe Saraiva

01/10/2008

Dia Internacional da Música

Seguindo o exemplo do blogue "Suco, Suquinho, Sucodinho" aqui uma homenagem ao Yehudi Menuhin.

Há 33 anos o Dia Internacional da Música foi instituido por iniciativa dele.

Neste filme de 1947 Menuhin toca "Caprice 24" de Paganini, acompanhado pelo pianista Adolph Baller.