30/03/2008

Ochi chyornie (Olhos Negros) - Fyodor Shalyapin

Gravação quase centenária do lendário cantor russo Fyodor Shalyapin (1873-1938). Gosto muito desta canção pela carga emocional. Há versões em outras línguas, mas para mim nenhuma iguala a original em russo. Outra interpretação conhecida é aquela do Exército Vermelho, por exemplo ao vivo em http://www.youtube.com/watch?v=oQEjwKs_hpg&feature=related.

Letra para acompanhar em: http://www.answers.com/topic/dark-eyes-song

28/03/2008

Estreámos um Teatro no Dia Mundial do Teatro


Estamos (Companhia do Chapitô) a apresentar "O Grande Criador" no FestClown de Brasília e fomos fazer ontem espectáculo a Ceilândia nas novíssimas instalações do SESC - Um complexo desportivo e artístico muito bem equipado onde se situa o Teatro Newton Rossi. Inauguardo apenas há uns meses, ainda nunca tinha sido apresentado teatro lá. Que melhor prenda poderiamos desejar no Dia Mundial do Teatro?

Amanhã regressamos ao Teatro Plínio Marcos da FUNARTE, para mais uma apresentação.

Começo a sentir-me em casa no Brasil.

25/03/2008

Pitbull dourado


Vá lá, um segundo post (em 400 e tal) sobre futebol, o primeiro (27 de Setembro 2007) foi sobre a milagrosa vitória de Fátima contra o FC Porto na Taça da Liga.
Hoje de manhã na RTP duas notícias seguidas:
- Pinto da Costa afinal vai ao Tribunal no âmbito do processo Apito Dourado;
- Cláudio Pitbull foi eleito o melhor jogador na competição da Taça da Liga, vencida com todo o mérito pela Vitória de Setúbal. Na votação ele foi seguido por Saleiro (atacante Fátima), Eduardo (guarda-redes do Setúbal, o herói da final contra o Sporting) e os três sportinguistas Vukcevic, Moutinho e Liedson.
Facto curioso: Cláudio Pitbull foi emprestado ao Setúbal pelo FC Porto (também o guarda-redes Eduardo foi emprestado pelo Sporting de Braga, fantásticos os resultados do treinador da Vitória de Setúbal Carlos Carvalhal com uma equipa de tão baixo orçamento) e ainda vai defrontar o mesmo FC Porto nas meias finais da Taça de Portugal.
Apito Dourado? Mais vale um "Pitbull Dourado"!
Se calhar Bimbo da Costa fará bem em chamar de volta este Pitbull para fazer companhia aos seus queridos Bobby e Tareco (ver imagem) e ajudar o clube no "Busca, busca, mata, mata" da próxima temporada....
(imagem tirada do livro: "Ser do contra", ed. "Temas e Debates", 2000)

23/03/2008

Kumpania Algazarra no MusicBox Lisboa


No mês passado a Kumpania Algazarra lançou o seu primeiro álbum (clicar na imagem para ampliar e ler alguns recortes da imprensa).
Já houve apresentação do trabalho na RDP-Antena 1 (programa "Viva a música"), nas lojas FNAC e em vários bares. Neste fim de semana de Páscoa, por exemplo, cinco concertos na área do Porto, esta banda não para!
No próximo sábado dia 29 à meia noite há concerto no MusicBox, Rua Nova do Carvalho 24 em Lisboa (perto do Cais do Sodré).
Entrada 8 euros (oferta de 3 euros de consumo), CD à venda por 10 euros.
No fim de 2007 eu tinha que pedir o estatuto de "músico-suplente" na banda por incompatibilidade com o meu trabalho no teatro e na Fundação do Gil (Hora da Música em pediatrias de hospitais).
Claro que ficaram saudades (de ambas as partes, julgo poder afirmar) e no próximo sábado espero fazer uma curta reaparição como convidado, interpretando uma canção russa que ficou famosa há 100 anos na versão de Fyodor Shalyapin (esta parte da mensagem é especialmente dirigida ao jornalista António Pires...). Vai ser "una giornata particolare": à tarde, em Coimbra, vou fazer o meu "come-back" na Alta Competição do Xadrez depois de uma ausência de quase dois anos, muito por "culpa" desta mesma Kumpania Algazarra.... Está em causa a liderança na 2ª Divisão B, disputada entre o meu clube GX Alekhine e Académica de Coimbra. Vou jogar com o primeiro tabuleiro deles, ele chama-se Evangelista, por isso deve saber muito...
P.S. Domingo dia 30: a "giornata" foi mesmo "particolare". Ao fim da tarde empatámos em Coimbra, tanto eu na minha partida como a equipa no encontro, um bom resultado que nos mantém na corrida para a subida à 1ª Divisão. Só que na viagem de regresso a Lisboa quem conduziu foi o único jogador da nossa equipa que tinha perdido o seu jogo. Por experiência própria sei que logo depois de uma derrota um jogador de xadrez está temporariamente bastante vulnerável e desorientado, por isso vi com alguma preocupação o nosso carro colado às traseiras dos automóveis da frente, tipo corrida de carrinhos de choque, mas à velocidade de 150 na hora. Felizmente chegámos bem e à noite ainda consegui dar o meu contributo ao concerto dos Algazarra no MusicBox. Vamos repetir a dose num concerto na Fábrica Braço de Prata na sexta-feira dia 11 de Abril, será o lançamento oficial do álbum, já à venda..
A seguir um post da canção russa que interpretei no concerto, muito à minha maneira, claro...

22/03/2008

Mensagem do Dia Mundial do Teatro 2008



Apesar de ser só no dia 27 de Março, não resisti a traduzir antecipadamente a mensagem deste ano, pois vou estar no Brasil no dia mundial do teatro. Desta vez o ITI convidou Robert Lepage para escrever o texto que é lido por todo o mundo no dia 27. Desde criança que sou fã destas mensagens, por isso aqui fica a deste ano:




"Existem várias hipóteses sobre as origens do teatro, mas aquela que me interpela mais tem a forma de uma fábula:

Uma noite, na alvorada dos tempos, um grupo de homens juntou-se numa pedreira para se aquecer em volta de uma fogueira e para contar histórias. De repente, um deles teve a ideia de se levantar e usar a sua sombra para ilustrar o seu conto. Usando a luz das chamas ele fez aparecer nas paredes da pedreira, personagens maiores que o natural.
Deslumbrados, os outros reconheceram por sua vez o forte e o débil, o opressor e o oprimido, o deus e o mortal.

Actualmente, a luz dos projectores substituiu a original fogueira ao ar livre, e a maquinaria de cena, as paredes da pedreira. E com todo o respeito por certos puristas, esta fábula lembra-nos que a tecnologia está presente desde os primórdios do teatro e que não deve ser entendida como uma ameaça, mas sim como um elemento unificador.

A sobrevivência da arte teatral depende da sua capacidade de se reinventar abraçando novos instrumentos e novas linguagens. Senão, como poderá o teatro continuar a ser testemunha das grandes questões da sua época e promover a compreensão entre povos sem ter, em si mesmo, um espírito de abertura? Como poderá ele orgulhar-se de nos oferecer soluções para os problemas da intolerância, da exclusão e do racismo se, na sua própria prática, resistiu a toda a fusão e integração?

Para representar o mundo em toda a sua complexidade, o artista deve propor novas formas e ideias, e confiar na inteligência do espectador, que é capaz de distinguir a silhueta da humanidade neste perpétuo jogo de luz e sombra.
É verdade que a brincar demasiado com o fogo, o homem corre o risco de se queimar, mas ganha igualmente a possibilidade de deslumbrar e iluminar."

Robert Lepage

21/03/2008

Hugo Claus (1929 - 2008)


Morreu num hospital em Antuérpia o escritor e pintor belga (flamengo) Hugo Claus, considerado um dos poucos candidatos a um Prémio Nobel da Literatura em língua neerlandesa. Vítima de doença de Alzheimer, optou pela eutanásia, legalizada na Bélgica.
A sua obra máxima é "Het verdriet van België", editado em português como "O desgosto da Bélgica" (ed. ASA, 1997), o livro descreve um negro período da história de Flandres, o colaboracionismo durante a Segunda Guerra Mundial, é também uma crónica do provincianismo e da mediocridade da sociedade em que o escritor cresceu.
Claus nasceu em Bruges, estudou num severo colégio interno católico em Kortrijk (Courtrai) e viveu depois em Paris, onde foi influenciado pelo movimento surrealista e especialmente por Antonin Artaud, que ele considerava o seu pai espiritual. A partir daí decidiu escrever em neerlandês, ou melhor em flamengo, um dialecto mais "sumarento" (e dífícil de captar em traduções) do que o neerlandês da Holanda, sobretudo nos diálogos entre as personagens dos seus romances.
Tenho uma recordação pessoal especial: em Maio 1997 Hugo Claus participou num colóquio de escritores e poetas em língua neerlandesa na Casa Fernando Pessoa. Por coincidência os meus pais, ambos mais ou menos da mesma idade que Claus e admiradores da sua obra, estavam nessa altura de visita a Lisboa para celebrar os seus capícuos 44 anos de casamento e fomos assistir ao colóquio.
Daqui a dois meses espero celebrar com eles os "ainda mais" capícuos 55 anos na Holanda...

20/03/2008

Bitter Moon (Lua de mel, lua de fel) - Roman Polanski (1992)


Um dos filmes mais perturbadores de Roman Polanski, nesta madrugada na RTP 1 entre as 1.30 h e as 4 h (desta vez concordo com o horário...), fabulosos papéis de Emmanuelle Seigner, Peter Coyote, Hugh Grant e Kristin Scott Thomas.

Vídeo do fragmento "Mimi's Dance".

Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=kStFLZ8N2B0&feature=related

Dados: http://en.wikipedia.org/wiki/Bitter_Moon

(Curioso, dei o título "Lua de mel, lua de fel" ao meu post de 25 de Fevereiro sobre Nicolas Sarkozy e Carla Bruni sem me lembrar deste filme...)

Sem comentários II

Sem comentários I

19/03/2008

Audição - "Perfectly Marvelous"





Logo depois da última representação do musical "A Fábrica de Nada" (Artistas Unidos) quase todos os músicos do elenco fizeram audição para a orquestra do musical "Cabaret", a estrear no Outono no Teatro Maria Matos com encenação de Diogo Infante.
Pessoalmente não tinha grandes expectativas, pois na ficha de inscrição a produção pediu um "acordeonista-multi-instrumentista" (teclas e cordas), coisa que não sou, mesmo assim apeteceu-me aceitar o desafio.
A audição tinha duas fases: execução de uma peça livre e de uma peça do musical, no meu caso "Perfectly Marvelous" (acima a pauta e uma interpretação em vídeo).
A preparação da audição foi um espectáculo em si: foi-me atribuido um camarim no teatro, junto com outro acordeonista, de formação clássica, muito bem vestido e equipado. Ele olhou com uma certa curiosidade para a minha roupa informal e a minha mala de acordeão artesanal. Para não haver mal-entendidos ele começou o seu aquecimento com uma interpretação virtuosa de uma peça de Piazzolla. Entretanto entraram no camarim mais candidatos: um teclista, outro acordeonista e um guitarrista com visual tipo Nirwana.
O último mandou parar o virtuoso: "Silêncio por favor! Se ainda não sabes o que vais tocar, agora já é tarde!" Gostei dessa. Depois ele levou a sua guitarra à casa de banho para afinar, discrição acima de tudo.
Fui o primeiro a fazer audição depois do jantar do júri, fui apresentado ao encenador Diogo Infante e ao director musical Rúben Alves, um músico conceituado, conhecido como professor na "Operação Triunfo". Toquei como peça livre um tema de Nino Rota para o filme "Amarcord" de Federico Fellini (fazia parte do repertório da saudosa Bigodes Band), um acordeonista cego, a menear a cabeça e a trautear a música enquanto toca. Diogo Infante gostou, estava a rir-se, o director musical se calhar nem tanto, limitou-se a preencher uma folha numa pasta, deve ser o papel dele. Da pauta de "Perfectly Marvelous" ele deixou-me tocar só a primeira parte e não os compassos mais complicados 18 até 26 (à tarde eu tinha suado as estopinhas para dominar essa parte a uma velocidade de 180 semínimas por minuto, mais c'est la vie...).
Mais tarde recebi um mail do colega Rui Faustino, a ele só lhe foram concedidos 30 segundos do solo de bateria que ele tinha preparado, c'est la vie aussi.
Para nós não houve "Operação Triunfo", fica para a próxima...
P.S. Encontrei uma versão do tema de "Amarcord", tocada pela banda holandesa(!) "I Compani" em http://www.youtube.com/watch?v=oHood5HsosQ, no fundo vemos a famosa cena do filme com o tio louco na arvore a gritar: "Voglio una donna!"

18/03/2008

Transgredir no Chapitô, quinta-feira, dia 20 - Jam Session


Acabadinho de chegar da Colômbia reparei que inventaram um concerto comigo e a Sofia inserido na programação do Bartô, no Chapitô. Fica aqui a correcção:

Não é concerto pois nunca dissemos que era e nem sequer há cachet para músicos nem P.A. em condições.

É o normal (des)funcionamento do Chapitô. Mas o mais cómico é o tema/título: "Músicas do Mundo - Novas expressões do panorama da música contemporânea portuguesa, transgredindo fronteiras e barreiras." O que é que isto quer dizer????
Transgredir eu sei o que é...

Portanto vai ser Jam Session aberta a músicos e cantores e fica aqui o convite para aparecerem para tocar, cantar, ou simplesmente beber um copo. A partir das 23h.

17/03/2008

O riso de Sócrates


Como já escrevi numa reacção a um comentário da estimada visitante Maria Velho (post de 12 de Março, cartaz "Milú Jamé"): esta imagem de José Sócrates a assumir a alcunha do seu ministro Mário Lino faz-me lembrar o ensaio do filósofo Henri Bergson "O Riso", obra que li durante a preparação do espectáculo "O Sorriso" da Companhia do Chapitô (2000, direcção de Nuno Pino Custódio), baseado no livro "The smile at the foot of the ladder" de Henry Miller.
Bergson diz que "o riso é habitualmente acompanhado por indiferença, insensibilidade".
Gostava de saber a opinião do grande pensador português José Gil sobre este assunto.
Sugestão para o programa "Contra-informação": mudar a alcunha de Sócrates, "José Troçaste" em vez de "José Trocaste".

15/03/2008

Canta Corsica - Jean Paul Poletti



Depois do primeiro post de ontem do Fernando fui à procura do CD "Canta Corsica" (capa na imagem) que encontrei numa loja Valentim de Carvalho em 1996. Grupos conhecidos como "I Muvrini" e "Canta u Populu Corsu", mas também uma música de Jean Paul Poletti (que eu não conhecia na altura): "Un Passu Ver Di U Celu", uma voz cativante.
Na época de Natal 1999 eu estava a preparar um pequeno espectáculo de marionetas com música ao vivo, baseado numa obra de Federico Garcia Lorca: "A donzela, o marinheiro e o estudante". Foi no Café Teatro da Comuna com Anabela Brigida (actriz-bonecreira), Sandra Faleiro (direcção) e Sara Graça (figurinos).
A música de Poletti foi uma perfeita introdução para criar o ambiente do espectáculo.
Mais tarde Poletti começou a dedicar-se à música coral com o Choeur des Hommes de Sartène.
Exemplo é o CD "Messa Sulenna" , fragmentos (com o barítono de Poletti) em http://musicaonline.sapo.pt/artist/1320058/Jean_Paul_Poletti_and_the_men_choir_of_Sartene .
Mais sobre Poletti em http://www.jppoletti.com/

14/03/2008

First


Duas semanas depois do Fundão estava nas Caldas da Raínha a dar um workshop de composição musical para teatro e cinema de animação a alunos da ESAD (Escola Superior de Artes e Design), integrado no FIRST - Encontros Internacionais de Estudantes das Artes da Animação. Três dias intensos com 11 alunos motivados a trabalhar com um filme do realizador experimental norte-americano Stan Brakhage, o Dog Star Man - Part 1.




Passámos por várias fases de um possível processo de sonorização de um filme ao vivo, visionamento e análise do filme, indentificação das linhas de força e elementos centrais do mesmo, levantamento de sons e materiais. Sem os ter conduzido foram ter a materiais que, neste momento, me interessam bastante: água, gravilha, ramos, pinhas, pedras. Que festim!




No segundo e terceiro dia, depois de eles terem recolhido, ou, temo, pilhado, os materiais, partimos para jogos de improvisação, estabelecendo regras e dinâmicas. Ao quarto dia apresentámos o filme com a música tocada/improvisada. Chapeau! Portaram-se como profissionais. Dos bons! Até sempre, ESAD.
(Não há fome que não dê em fartura, hã, Rini?)

Tempus Fugit, amigos da Córsega

Para ouvir excertos destas generosas e potentes vozes...

Trabalhei com eles num espectáculo que envolveu 60 pessoas de aldeias do concelho do Fundão, canticos da semana santa das Beiras e da Córsega, bombos, objectos sonoros, água e arroz, na Igreja Matriz do Fundão no passado dia 1 de Março.

Bonita comunhão. Quem faz a arte valer a pena são as pessoas e os momentos. E esses foram dos bons. Muito bons.

Ficou a amizade. Um bonito e mágico espectáculo. Boas noites de copos e cantorias. E a promessa de participar no próximo disco deles.

Até já Córsega...


Rothko - "Red Abstract" (1944)


Caro sócio Fernando, sei que este gesto pode ter consequências imprevisiveis, mas quero desafiar-te a fazer um post. Ficou prometido no almoço anacrúsico em Janeiro e a tua única comunicação no blogue até agora foi um comentário-pedido ao sócio Rui para trazer da América do Sul uma prenda tipo apito de pássaro (mesmo assim um pedido bem mais modesto do que a tua inesquecível Amazon-wish-list no post de 21 de Dezembro 2006).
É que ultimamente estou a alternar posts de algum interesse cultural (julgo) com posts do tipo "faits divers" que, mesmo que tenham alguma relevância, não me satisfazem plenamente (nessa categoria por exemplo comentários sobre palavrões proferidas por um presidente francês, sobre merda canina misturada com beatas, sobre a Ministra Sinistra Milú...).
Acho que a nossa triade devia fecundar-se mutuamente, mais do que está a acontecer agora (não sei se isto é bom português: triade...mutuamente!?)
Um homem com a tua cultura geral deve transbordar de ideias para partilhar na blogosfera. Só um senão, por favor: queria propor um moratório em relação aos quadros de Mark Rothko; são demasiado profundos para mortais comuns como eu (ver imagem).
Para não ficares chateado, caro Fernando, ouvir agora a música da banda sonora de "Kill Bill" no post de 13 de Fevereiro: " 'cause I'm just a soul whose intentions are good....oh Lord, please don't let me be misunderstood".

12/03/2008

Porque é mesmo genial...


Eis um professor (de francês!?) que se está manifestamente nas tintas para uma avaliação...

11/03/2008

Marcha da Indignação: é só fazer as contas...



52,6% (121 em 230 deputados, cinco em cada oito) é a maioria absoluta do PS na Assembleia da República;
66,6% (dois em cada três) dos votos é a maioria necessária para alterar uma Constituição;
70% (100 mil em 143 mil, sete em cada dez) foi a maioria dos professores que não só votaram mas se deslocaram pessoalmente à capital para participar na Marcha da Indignação contra a política de Educação deste Governo (foto acima de Rodrigo Cabrita, blogue http://photo-a-trois.blogspot.com/, no diário "Global").
E qual é o comentário da Sra. Ministra Milú, sem pestanejar como sempre?
"100 mil professores na rua não é relevante. Eu não me assusto".
Entretanto apareceu como pequena réplica na primeira página do "Diário de Notícias" de hoje a já célebre foto de Fernanda Tadeu, esposa do "número dois" do PS António Costa e educadora de infância, a participar na manif dos professores de sábado. A imagem foi publicada no domingo passado no blogue do fotógrafo freelancer Paulo Vaz Henriques http://fotografiasempre.blogspot.com/

Hasta Luego Bogotá


Correram muito bem os espectáculos e já nos convidaram para regressar fora do festival. Fomos extremamente bem recebidos e deixamos aqui amigos.
La obra ya está cambiando el nombre para "El Gran Creador". Por estas bandas somos "La compañia du chapíto".
Conhecemos gente de muitas companhias de todo o mundo. Grande Festival!

Gracias


09/03/2008

Astor Piazzolla - Lunfardo (Montreal 1984)

Ontem de madrugada quase fiz as pazes com a RTP, vi três programas fabulosos:

- documentário sobre a actriz italiana Anna Magnani (nascida há 100 anos);

- "Tango among friends", documentário sobre a história do tango, entrevistas com o maestro Daniel Barenboim (argentino de origem) e imagens raras de arquivo;

- o concerto de Astor Piazzolla e o quinteto Tango Nuevo no Coliseu dos Recreios no dia 11 de Novembro 1987 (grande emoção, pois eu estive lá, residente em Portugal há poucos meses; até fiz, à boa maneira holandesa, uma gravação clandestina do concerto, mas o crime já deve ter prescrito, aliás a cassete está cheia de ruído...).

Escrevi "quase fiz as pazes com a RTP", por causa do horário vergonhoso das emissões: entre meia noite e as quatro de manhã... mas gravei tudo!

Aqui um vídeo de Piazzolla com o mesmo quinteto que actuou no Coliseu: Astor Piazzolla - bandoneon, Horacio Malvicino - guitarra, Hector Console - contrabaixo, Pablo Ziegler - piano, Fernando Suarez Paz - violino.

Mais música de Piazzolla em: http://br.youtube.com/results?search_query=astor%20piazzolla&search=Search&sa=X&oi=spell&resnum=0&spell=1 (tem, para a minha surpresa, vários vídeos recém-colocados do outro concerto dele a que assisti, em 1985 no Muziekcentrum Vredenburg em Utreque, Holanda; ainda me lembro da sua apresentação: "Bonsoir mesdames e messieurs, je m'appelle Astor Piazzolla, je ne chante pas!")

06/03/2008

Bogotá. A Cidade-Teatro.

Caracas e Bogotá estão na maior tranquilidade. Nada a ver com as notícias que vendem na Europa e nos EUA.

O festival vai começar amanhã. É a loucura. São dezenas de espectáculo por dia, práticamente esgotados. 

Quando vínhamos de Caracas vimos no avião um artigo sobre o festival que nos colocava nos colocava entre os 7 melhores espectáculos. Confirmaram-nos já por cá que somos um dos espectáculos mais esperados.

A nossa guia é professora de música e conhecedora de música tradicional. É desta que eu chego aí a tocar Cúmbias. 

Apesar de ainda não me ter habituado aos 2600m de altitude, tudo está a correr pelo melhor.

Saudações anacrúsicas aqui da Colômbia.

04/03/2008

The War on Democracy - John Pilger


Neste documentário o premiado jornalista de investigação John Pilger (outros trabalhos dele em http://www.johnpilger.com/ ) denuncia as já inúmeras campanhas do governo dos Estados Unidos na América Latina ("Our Backyard", ou seja "as Traseiras da América" segundo Henry Kissinger, Secretário de Estado no tempo de Richard Nixon e grande amigo de sempre de Mário Soares, a verdade seja dita...).
Entrevistas com oficiais do governo norte-americano, revelando pela primeira vez as guerras secretas feitas pela CIA na América Latina.

03/03/2008

Guillermo Enrique Torres - "Julian Conrado" (1954 - 2008)




No combate anteontem entre as forças colombianas e os guerrilheiros das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) morreu (também) o compositor e músico Guillermo Henrique Torres, conhecido como Julian Conrado, desde que se juntou às FARC em 1983. Ele compôs e gravou com outros guerrilheiros mais de uma centena de canções sobre a luta e a realidade social na Colômbia. Entre 1998 e 2002, durante o diálogo entre as FARC e o Governo de Andrés Pastrana, ele foi o responsável para as reivindicações em temas culturais, mas as negociações falharam. Foi neste período que ele compôs a música deste vídeo "Arando la paz", uma passagem rápida pelas últimas décadas da história colombiana para justificar as razões que levaram as FARC à luta armada em 1964.

Nos Estados Unidos "Julian Conrado" era procurado por envolvimento, através das FARC, em narcotráfico: http://www.state.gov/p/inl/narc/rewards/63851.htm .

Depois do referido combate em solo equatoriano no fim de semana passado a situação na região é tensa: movimentos de tropas equatorianas e venezolanas para as fronteiras com a Colômbia, acusações do governo colombiano aos governos vizinhos de manter contactos com as FARC.

Presidente Álvaro Uribe de Colômbia é pró-americano, ao contrário dos seus vizinhos. Hugo Chavez chamou "Satanás" ao George W. Bush, o presidente do Ecuador Rafael Correa, um católico de esquerda, considerou esta comparação "uma injustiça perante o Diabo". Agora o Ecuador já manda refinar o seu petróleo na Venezuela (era antes nos Estados Unidos).....

Entretanto as FARC afastaram-se muito dos seus objectivos originais: a luta a favor do povo colombiano e contra os interesses das empresas multinacionais. Não há justificação possível para sequestros, torturas e (possível?, provável?) narcotráfico. Parece-me que o movimento está num beco sem saída. Na Holanda é notícia o diário de uma estudante holandesa que em 2002 aderiu voluntariamente às FARC, mas agora quer sair, pois "já nada disto faz sentido".

Do outro lado também acho super-hipócrita a atitude dos norte-americanos, alegadamente só preocupados com o narcotráfico, sem falar sobre os seus interesses no petróleo, mas isto já é hábito.

O Grande Criador em Bogotá

.
“O Grande Criador” ou “El Gran Creador” (a mais internacional criação colectiva da Companhia do Chapitô), vai participar no XI Festival Iberoamericano de Teatro de Bogotá. É o maior festival de teatro do mundo, do ponto de vista do número de companhias participantes. São 650 espectáculos de teatro, oriundos de 45 países, para mais de 2 milhões de espectadores. O festival é bianual e este ano realiza-se entre 7 e 23 de Março.

Conhecemos a sua directora
Fanny Mikey no Fit de Cádiz. Uma figura fantástica que ficou encantada connosco e nos quis de imediato colocar na programação deste ano mesmo depois de já estar fechada.

Fazemos por lá 5 espectáculos, no
Teatro Libre Chapinero, uma sala emblemática com mais de 500 lugares. Regressamos para preparar a ida para o Brasil.

Este ano promete. O conta-quilómetros começou a contar.

01/03/2008

Beatas & Cocó = «!"#$%&/()=?»


"O cinzeiro é um objecto útil tanto para toda a humanidade como para o indivíduo. É, de facto, possível a qualquer um livrar-se nele da sua cinza e nesse mesmo acto trazer-nos um alívio libertador. Isso prova-se de seguinte maneira:
Em caso de extrema escassez de cinzeiros, os corpos cinzéricos acumulam-se no chão tal como as beatas. ESSA SITUAÇÃO NÃO É NADA SAUDÁVEL PARA AS SOLAS."
(Fragmento da palestra do Professor de Estudos Cinzeirísticos em "A Fábrica de Nada", musical em cena no Teatro da Malaposta até domingo 16 de Março).
Caro leitor, depois de uma semana com posts de elevado nível cultural neste blogue, sinto-me agora compelido a abordar um assunto bastante mais "down to earth", mesmo rente ao chão, por assim dizer...
Hoje de manhã, ao descer rapidamente as escadinhas da minha rua em direcção à Estrada de Benfica (para ainda conseguir o CD "Porto Interior" de Rão Kyao e a chinesa Yanan, distribuido gratuitamente com o Diário de Notícias), deparei com uma cena particularmente repugnante. Alguém tinha escorregado num montinho de excrementos caninos, deixando como rasto uma mistura de cocó e beatas que se encontravam lá no chão em grande quantidade. Um sinal dos tempos que correm.
Desde o início do ano existe um fenómeno novo na paisagem urbanística: pequenas irmandades de fumadores unidos nas portas abertas dos estabelecimentos de consumo, lojas e escritórios, os semblantes ainda carregados pela injustiça, infligida pela nova Lei do Tabaco.... Deitar as beatas para o chão deve ser a vingança mínima que se pode esperar nestas circunstâncias.
Em relação ao civismo dos donos de cães já perdi a esperança há muito tempo.
No blogue http://opopulo.blogspot.com/, post de 7 de Dezembro 2007, alguém fez um inventário do lixo, encontrado na rua, durante uma simples ida da casa até ao metro, é impressionante! Nos comentários surgiu logo a ideia de uma "recolha de dados" deste género em grande escala para envio à comunicação social, publicação nos placards das Juntas de Freguesia, nas paragens dos autocarros, etc.
Eu estou a favor!
P.S. (um dia depois do desabafo) Claro que também há fumadores e donos de cães responsavéis, se calhar até formam a maioria, mas infelizmente uma minoria já consegue estragar o ambiente...